RCC Tocantins
31/10/2007 - 16h11m

Papa defende responsabilidade política e civil da Igreja

 
Bento XVI afirmou esta manhã que a fé não deve afastar os cristãos dos seus compromissos de cidadania. "Viver a vida cristã significa também assumir os compromissos civis", indicou.
O Papa falava perante milhares de peregrinos, reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano, para a habitual audiência geral das Quartas-feiras.

Recordando a "Nota doutrinal sobre algumas questões relativas à participação e comportamento dos católicos na vida política", que assinou enquanto prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Bento XVI disse que "um dos mais importantes aspectos da unidade da vida do cristão" é a coerência entre "fé e vida, Evangelho e cultura".

Numa catequese dedicada a São Máximo, Bispo de Turim dos séculos IV-V, o Papa referiu-se à "profunda relação entre os deveres do cristão e os do cidadão". Aos Bispos, indicou, compete ensinar os cristãos a serem bons cidadãos, inclusivamente cumprindo as suas "responsabilidades fiscais".

Depois de aludir ao complexo contexto histórico em que viveu Máximo de Turim, marcado pelas invasões bárbaras e a proximidade do fim do Império Romano no Ocidente, Bento XVI disse que é nesta altura que se percebe "uma crescente consciência da responsabilidade política da autoridade eclesiástica".

Ao mesmo tempo, frisou, os cristãos começavam a aperceber-se da necessidade de "promover uma ordem social justa fundada na solidariedade com os pobres". Todas estas indicações, apesar das mudanças históricas que se verificaram, continuam válidas ainda hoje, sublinhou.

O Papa citou a constituição pastoral "Gaudium et Spes", do Concílio Vaticano II, para desejar que os fiéis procurem sempre "exercer todas as actividades terrenas, unindo numa síntese vital todos os seus esforços humanos, domésticos, profissionais, científicos ou técnicos com os valores religiosos, sob cuja elevada ordenação, tudo se coordena para glória de Deus" e, assim, "ao bem da humanidade".

No final da audiência, marcada pela chuva, o Papa lembrou as próximas celebrações de Todos os Santos e dos fiéis defuntos, pedindo que as mesmas "sejam para cada um ocasião propícia para levantar o olhar ao céu e contemplar as realidades futuras, últimas e definitivas, que nos esperam".

Fonte: Agência Ecclesia



LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/8k

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.