RCC Tocantins
16/11/2012 - 11h00m

Congresso Arquidiocesano: manhã de sábado abordou vida de oração pessoal e conversão

Marília Carvalho, Ministério de Comunicação da Arquidiocese de Palmas 
  • Pregação Janeth Vaz

Realizado de 26 a 28 de outubro, na Capital do Tocantins, o Congresso Arquidiocesano da RCC reuniu lideranças e simpatizantes do movimento carismático, durante três dias de muito louvor, ensino da palavra e oração. O encontro aconteceu no Salão da Pró-Catedral de São José, localizado na quadra 604 Sul. A programação iniciou com a Santa Missa, na sexta, 26, à noite.

O encontro também foi transmitido, em tempo real, pela equipe de Comunicação do Grupo de Oração “Sacrário Vivo”, grupo que pertence à Arquidiocese de Palmas.

Veja abaixo como foi a programação da manhã de sábado, 27, no Congresso.

Pregação: Janeth Vaz

Janeth pregou sobre o capítulo 7, 37-38, do evangelho narrado por São João. Janeth, que é membro do Conselho Fiscal da RCC-TO, lembrou que a fonte de água viva está no sacrário, no Santíssimo Sacramento. “Quando O visitamos, comungamos e nos colocamos em oração, bebemos da fonte”.

Ela também falou da importância da disciplina na vida de oração. “Sem ela não conseguimos ter intimidade com o Senhor e nos tornamos secos, sem essa água viva. A correria do dia-a-dia não deve ser empecilho para a nossa vida de oração pessoal. A vida de oração não é perda de tempo. Temos que ser decididos pelo Senhor e pelo serviço que Ele tem nos confiado”, apontou.

Retomar o ardor espiritual também foi outro ponto enfatizado na pregação. “Precisamos ser homens e mulheres de fogo, sem desânimo, servindo com alegria e paciência. E se permitirmos que o Espírito Santo nos inflame, seremos renovados, libertos e reanimados. Por isso, deixemos o Espírito Santo agir em nós, para sermos verdadeiros anunciadores do evangelho com desassombro, sendo instrumento de curas, milagres e prodígios”.

Pregação: Lucélia Oliveira

Lucélia falou sobre o evangelho de Mateus 9, 10 e enfatizou que é preciso buscar diariamente, uma vida de conversão ao Senhor. Uma vida de renúncia e sacrifício, pois “o Senhor não é um deus de mágica”.

A coordenadora da RCC da Prelazia de Cristalândia também disse que precisamos tomar cuidado para não ficar na “superfície” da vida com Cristo. “É preciso deixar-se tocar pelo Senhor, é necessário mergulhar, buscar constantemente esse Deus que é amor. Temos que ser luz. Não somente mostrar a luz que é Jesus, mas caminhar e deixar-se contagiar por Ele”.

A pregadora também exortou a comunidade presente a abandonar os chamados “pecados de estimação”, pois a santidade é a vocação de todo cristão. “A igreja clama por cristãos que busquem verdadeiramente uma vida de santidade, que testemunhem os milagres que o Senhor realiza em nossa vida e na vida dos que estão a nossa volta. Não devemos ter medo de dizer que somos de Deus”.

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/rd

© 2012-2018. RCC-TO - Todos os direitos reservados.