RCC Tocantins
24/04/2012 - 10h33m

Vaticano investiga suposto milagre pela intercessão da Beata Elena Guerra

MCS Tocantins 

O Vaticano está investigando um suposto milagre, pela intercessão da Beata Elena Guerra, em Uberlândia. Um representante do Vaticano esteve na cidade colhendo informações para análise do caso. O caso envolve a cura de um enfermeiro que caiu de cima de uma árvore e ficou em coma, sem nenhuma esperança de recuperação.

Depois de 25 dias ele saiu do coma e a família chegou a receber um laudo dos médicos, atestando que a recuperação dele “foi além da medicina”. Para que Elena seja considerada santa, falta apenas a confirmação de um milagre.

Veja aqui a reportagem sobre o caso, exibida pela afiliada da TV Globo, no Triângulo Mineiro.

Saiba mais sobre Elena Guerra

Chamada de “Apóstola do Espírito Santo dos tempos modernos”, Elena Guerra nasceu em Lucca (Itália), no dia 23 de Junho de 1835. Viveu e cresceu em um clima familiar profundamente religioso. Durante uma longa enfermidade, se dedica à meditação da Palavra de Deus e ao estudo dos Padres da Igreja, o que determina seu orientamento da vida interior e de seu apostolado; primeiro na Associação das Amigas Espirituais, idealizada por ela mesma para promover entre as jovens a amizade em seu sentido cristão, e depois nas Filhas de Maria. Em Abril de 1870, Elena participa de uma peregrinação pascal em Roma juntamente com seu pai, Antônio. Entre outros momentos marcantes, a visita às Catacumbas dos Mártires confirmam nela o desejo pela vida consagrada. Em 1886, Elena sente o primeiro apelo interior a trabalhar de alguma forma para divulgar a Devoção ao Espírito Santo na Igreja. Para isto, escreve secretamente muitas vezes ao Papa Leão XIII, exortando-o a convidar “os cristãos modernos” a redescobrirem a vida segundo o Espírito; e o Papa, amavelmente solicitado pela mística Luquese, dirige à toda Igreja alguns documentos, que são como uma introdução a vida segundo o Espírito e que podem ser considerados também como o início do “retorno ao Espírito Santo” dos tempos atuais: A breve “Provida Matris Charitate” de 1895; a Encíclica “Divinum Illud Munus” em 1897 e a carta aos bispos “Ad fovendum in christiano populo”, de 1902. Em Outubro de 1897, Elena é recebida em audiência por Leão XIII, que a encoraja a prosseguir o apostolado pela causa do Espírito Santo e autoriza também a sua Congregação a mudar de nome, para melhor qualificar o carisma próprio na Igreja: Oblatas do Espírito Santo. Elena morreu no dia 11 de Abril de 1914, sábado santo, com o grande desejo no coração de ver “os cristãos modernos” tomando consciência da presença e da ação do Espírito Santo em suas vidas, condição indispensável para um verdadeiro “renovamento da face da terra”. (Fonte: www.elenaguerra.com)

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/oP

© 2012-2018. RCC-TO - Todos os direitos reservados.