RCC Tocantins
20/02/2010 - 05h15m

UMA CONVOCAÃ?AO PARA A QUARESMA

 

Nesta Quaresma, os membros da RCC de todo o Brasil estão sendo convidados a se unirem de uma forma muito concreta: somos chamados a fazer uma leitura orante da Bíblia, em total unidade.

No texto abaixo, A coordenadora da Comissão de Formação, Lucimar Mazieiro, nos apresenta as passagens bíblicas que vão nos conduzir nesse período. Sabemos que o Senhor está pedindo que nos unamos em torno de Sua Palavra para que, juntos, reconstruamos as muralhas. Se nos unirmos, através da leitura orante da Bíblia, estaremos dando passos para concretizar essas moções. Que nesta Quaresma possamos dar testemunho de amor fraterno, de irmãos que caminham na mesma direção. 


Espiritualidade nesta Quaresma: Unidos pela Palavra

Neste período da Quaresma, nós da Renovação Carismática Católica, vamos buscar seguir o que o Papa nos pediu na homilia de encerramento do Sínodo da Palavra. Bento XVI disse que devemos ter uma tarefa prioritária neste milênio: “Alimentar-se da Palavra de Deus, para tornar eficaz o compromisso da nova evangelização”.

Isto se dará por alguns motivos: primeiro porque o Senhor nos pede para voltarmos à prática da leitura da Palavra. Depois porque este é um tempo de reconstrução, e, também, de construção. Queremos ser obedientes ao apelo de Deus e trabalhar na construção, iniciando pela reconstrução de pilares que precisam de reparações. Um desses pilares é nossa vida de oração. Portanto, vamos nos unir, através da Palavra e da oração.

A prática da leitura orante da Palavra de Deus é algo que devemos reconstruir em nossa espiritualidade, por isso, a cada dia da quaresma, vamos meditar um trecho da Sagrada Escritura. Transformando este período num tempo de escuta, de intimidade, de diálogo com o Senhor.

Desejamos, ardentemente, mergulhar no conhecimento da Palavra, porque como nos afirma São Jerônimo “quem não conhece as escrituras, não conhece a potência de Deus, nem sua sabedoria”. Se quisermos nos fortalecer, aprofundar nossos alicerces, ser potencializados na evangelização com poder, com sabedoria, temos um caminho a seguir: o da leitura da Palavra de Deus!

Irmãos, com perseverança, vamos, dia a dia, mergulhar no coração de Deus através do que temos na Bíblia.

 

DIRECIONAMENTOS: TEMAS A SEREM MEDITADOS

Vamos seguir um caminho assim: teremos uma reflexão diária, que terá início na quarta-feira de cinzas (17 de fevereiro) e irá até a Semana Santa. Abaixo, estão descritas quais são as meditações de cada dia. Primeiramente de quarta-feira, até sábado (20 de fevereiro). Depois, as leituras e meditações da primeira semana. Leia atentamente para compreender. Os temas das demais semanas serão disponibilizados gradualmente, no decorrer da Quaresma.

Temas para reflexão da quarta-feira de cinzas até sábado, 20 de fevereiro:

Quarta-feira de cinzas: “Voltai a mim de todo o coração!”
Quinta-feira após a quarta de cinzas: “Ama o Senhor, teu Deus, e obedece-lhe”
Sexta-feira após a quarta de cinzas: “Sabeis qual é o jejum que eu aprecio!”
Sábado após a quarta de cinzas: "Não vim chamar à conversão os justos, mas os pecadores".

 

Temas para reflexões das semanas da quaresma.

“Temos uma responsabilidade de apoiados pelo Espírito Santo, em comunhão com os sucessores dos apóstolos e o sucessor de Pedro, difundimos mais, ainda mais, a Palavra de Deus no coração do mundo, deste nosso mundo que insiste em viver como se Deus não existisse, mas que ao mesmo tempo tem fome e sede de Deus e de sua Palavra. Esta é a tarefa dos movimentos eclesiais e das novas comunidades: Edificar a Igreja e servir a humanidade, de forma particular, anunciando que a Palavra Viva de Deus é uma pessoa – Jesus Cristo, Nosso Senhor. E o encontro pessoal com Ele é capaz de transformar a vida”, nos disse Bento XVI na Vigília de Pentecostes em 2008.

Com base nessas responsabilidades, vamos trabalhar um tema em cada semana, direcionando as leituras para isso:

I Semana: Reconstruir nossas muralhas
II Semana: Edificar a Igreja – Casa da Palavra.
III Semana: Viver a Palavra – Rosto da Palavra
IV Semana: Anunciar a Palavra – Voz da Palavra
V Semana: Caminhar coma Palavra – Missões
Semana Santa – As Palavras de Jesus na Cruz.

 


PRÁTICA: INICIANDO NOSSA CAMINHADA EM PREPARAÇÃO PARA A PÁSCOA.

Quarta-feira de cinzas:

“Voltai a mim de todo o coração”(Joel 2, 12a).

A Igreja nos ensina, neste dia, a prática espiritual que nos auxilia no caminho da conversão: o jejum e a abstinência de carne.

A passagem que vamos utilizar para meditar é Joel 2,12-18, cujo titulo já é um “apelo a penitência”. Vamos nos unir em comunhão com toda Igreja, refletindo nas palavras fortes de Joel: “rasgai os vossos corações, e não as vossas roupas, retornai a vosso Deus, porque Ele é bondoso e misericordioso...ordenai um jejum, proclamai uma reunião sagrada! Reuni o povo, convocai a comunidade, congregai os anciãos, reuni os jovens e os lactentes” (Cf. versículos 13,15,16).

Irmãos é uma convocação do profeta, vamos, enquanto Renovação Carismática Católica nos unir e orar juntos com esta passagem desejando profundamente rasgar o nosso coração a Deus.

Oremos com esta passagem apresentando ao Nosso Senhor os nossos propósitos de mudança de vida, de conversão, de comprometimento com a verdade. Assim como a Palavra nos diz, vamos nos reunir apresentando ao Senhor tudo que envolve nossa vida, nosso servir, nossa família, a família carismática. Unamo-nos pela Palavra!

Para nos fortalecer, no Senhor, façamos jejum e entremos na abstinência de carne. Sabemos e conhecemos nossa fraqueza, por isso é muito importante que neste período peçamos o Espírito Santo.

Quinta-feira após a quarta-feira de cinzas.

“Amai o Senhor, teu Deus, e obedece-lhe”.

A passagem que hoje meditamos é de Deuteronômio 30,15-20.

Na homilia de encerramento do Sínodo da palavra o papa Bento XVI nos exorta que “ser discípulos de Cristo significa por em prática os seus ensinamentos, que se resumem no primeiro mandamento da Lei Divina: o mandamento do amor. Um amor testemunhado concretamente nas relações entre as pessoas: devem ser relações de respeito, de colaboração, de ajuda generosa”. Já o papa João Paulo II nos ensina que nosso corpo é nosso sacramento e a finalidade de nosso corpo é amar. Refletindo nesta verdade, percebemos que no caminho de conversão muitas vezes temos que retornar ao amor. Para isso temos que retornar à fonte: o coração de Deus. É “na Palavra de Deus que conhecemos o Seu coração” dizia São Gregório Magno.

Como Renovação Carismática Católica, vamos entrar mais uma vez em comunhão e nos posicionarmos como pessoas que nasceram com a finalidade de amar. Assim como está no mandato de Deus em Deuteronômio. Vamos retornar ao coração trinitário de Deus que nos capacita a amar. Se nos for necessário, apresentemos hoje ao Senhor as situações ou pessoas que temos dificuldade de amar.

Vamos tomar posse desta palavra e pedir a Deus, que é Amor, que nos dê a graça de amar. Por isso, é importante detectarmos as fraquezas em relação ao amor, tenhamos a coragem de chegar ao íntimo do coração de Deus como os grandes homens da Bíblia fizeram, a fim de deixar o nosso coração ser purificado pelo amor de Deus.

Irmãos, sabemos orar! Então, oremos neste dia conforme o Espírito Santo nos conduzir a fim de que toda Renovação carismática católica seja colocado no mar de amor de Deus, pois Deus nos dá um mandato: “mando-te hoje que ames o Senhor, teu Deus, que andes em seus caminhos, observes seus mandamentos, suas leis e seus preceitos, para que vivas e te multipliques, e que o Senhor teu Deus te abençoe na terra em que vais entrar para possuí-la” (Dt 30,16).

Sexta-feira após a quarta feira de cinzas:

“Sabeis qual é o jejum que eu aprecio?”(Isaias 58,6). A passagem bíblica de hoje é Isaias 58,1-9.

Para melhor refletirmos este dia é importante pensar como nos relacionamos com Deus no dia em que jejuamos. Em Isaias 58, 6ss, o profeta nos exorta sobre o jejum que agrada a Deus. Vamos refletir sobre isso: que cadeias injustas precisamos romper? Quais são os jugos que estão amarrados?

Quero lembrar que o papa Bento XVI na homilia de enceramento do Sínodo da Palavra nos exorta “que o próximo a ser amado é também o estrangeiro, o órfão, a viúva e o indigente, aquele cidadão que não tem defensor algum”. Muitas vezes jejuamos sem amar. Deixamos de comer hoje, armazenado para amanhã.

Então, que alimento eu posso oferecer aos famintos? Que abrigo eu posso dar aos “sem asilo”? Como posso vestir o maltrapilho? Ainda podemos pensar: quem eu posso alimentar, abrigar e vestir?” Olhemos, hoje, para as pessoas que estão próximos de nós, talvez, alguns membros de nossa família, alguém que é nosso vizinho, ou até alguém que é nosso irmão no grupo de oração.

O alimento que eu deixei de comer neste dia de jejum, vai alimentar o irmão que talvez há dias não tem o que comer. Não podemos deixar de pensar em outra situação: não podemos jejuar como os hipócritas, fariseus, que demonstram fazer esta prática por mero legalismo, mais o coração estão cheio de orgulho, de mentiras, de falsidade, de mágoas.

Sábado após da quarta-feira de cinzas:

“Não vim chamar a conversão os justos, mas sim os pecadores”. A passagem de hoje é Lucas 5,27-32.

Somos filhos de Deus, mas, ainda, não somos perfeitos.Somos “imagem e semelhança de Deus”, mas precisamos de Deus para que nossas atitudes se assemelhem a Ele.

Hoje é dia de refletir sobre as enfermidades, os condicionamentos, os efeitos que os pecados deixam em nós. É tempo de viver conversão!

Contamos com o auxilio do Espírito Santo tanto para orarmos por nós, como para nosso grupo de oração, ou as pessoas de nossa família. É momento oportuno deixar que as nossas feridas fiquem expostas a Deus, pois a palavra de hoje nos conduz a experimento de seu poder que cura.

 

I Semana: Reconstruir nossas muralhas

Domingo (21 de fevereiro)

Iniciamos com o Domingo que é o dia do Senhor!

Já sabemos que neste tempo Deus esta nos levando para um contato mais profundo com sua palavra, num processo de restauração, reconstrução, retorno... num tempo de nos alicerçar na leitura orante da Palavra.

Na moção de Deus para RCC neste tempo, vamos mergulhar nesta semana no livro de Neemias. Peçamos que Espírito Santo nos leve à dimensão profunda desta leitura. A leitura de hoje é de Neemias 1, 1-11.

Sabemos que o profeta Neemias foi aquele que ajudou seu povo a configurar-se ao judaísmo, a retornar a sua terra, a reconduzir sua Igreja. Jerusalém, neste período, se encontrava sem muros, e uma cidade sem muros indica que a qualquer momento pode ser invadida novamente e destruída. Neemias é aquele que reconstrói os muros. Marca com isso uma nova etapa na caminhada.

Nestes versículos Neemias pergunta como estava seu povo. A resposta não lhe agrada, acontece uma sequência de fatos:

1º) Ele pede notícias;
2º) A notícia não é boa;
3º) Neemias chora;
4º) Ele toma atitude – oração e jejum. Na oração reconhece os pecados, assume o pecado, lembra da aliança, vai e ora.

Ele usa instrumentos certos:

a) Humilha o coração;
b) Tem compaixão do povo;
c) Sabe que se o povo também se humilhar, também será possível reunir todo o povo;
d) Tinha intimidade com o rei (copeiro).

Vamos unir nossa vida com esta palavra e deixar que na misericórdia de Deus possamos acolher as notícias de nossa vida, se for o caso até chorar os nossos pecados e voltar ao coração de Deus com nosso coração contrito.

Façamos nossa oração a Deus de forma que ela seja ousada e profética porque Ele também esperas nosso clamor. Oremos.

Segunda-feira (22 de fevereiro)

Leitura do dia: Neemias 2,1-20.

Neemias permanece aproximadamente quatro meses em espera. É sustentado pela oração. Pela oração vai planeja sua ação: o que fazer e como fazer.

Se olharmos o período de espera, pelo ângulo do planejamento percebemos que é um período bom, necessário, de crescimento, de amadurecimento.

Veja que a espera tem pontos positivos:
• Neemias fortalece suas resoluções;
• Deixa Deus trabalhar sua natureza;
• Neste tempo que Neemias vive a persistência, Deus vai honrando sua fidelidade;
• A espera é pedagógica. Deus vai mostrando o que era necessário fazer;
• Aprende como um verdadeiro líder a se portar: no momento certo, na hora certa, Neemias tem a fala certa.
• Na espera Neemias fez um bom planejamento, teve atitude de lealdade.
• Neemias tinha como chave a oração que era cheia de preparação.

Grande ensinamento: quando assumimos uma nova tarefa é necessário pedir autoridade de rei para cumprir nossa missão, nosso mandato.

Vamos refletir:
• Como eu vivo a espera em Deus?
• Depois que tenho visão de uma situação difícil como me posiciono? Espero em Deus? Abandono-me na vontade Dele? Que tal orarmos para pedir essa graça: Saber esperar em Deus e, decididamente, executar o que Ele nos inspira no planejamento.

Terça-feira (23 de fevereiro)

Leitura do dia: Neemias 3,1-32.

Este capitulo vai nos retratar como iniciou a reconstrução das muralhas da cidade. Percebe que em cada porta que trabalhvam para reconstruir consagravam-na e acentavam os batentes, conforme vai prosseguindo a construção vamos colocar batentes, fechaduras e trancas.

Vamos pensar em nossa Jerusalém em dois ângulos: um de maneira pessoal outro de maneira comunitária(nosso grupo de oração enosso relacionamento com os irmãos de caminhada, assim como os membros de nossa família). Vejamos:

Quais as portas, trancas e fechaduras que precisamos de construir no sentido de aumentar nossa segurança (refletir no aspecto comunitário e pessoal); Quais são as localizações (áreas) de nossa vida que precisamos reconstruí-las. (refletir no aspecto comunitário e pessoal).

Após detectarmos os pontos de risco, vamos orar no sentido desta reconstrução (orar no aspecto comunitário e pessoal).

Quarta-feira (24 de fevereiro)

Passagem dia Neemias 3,33-38

Aqui percebemos algumas dificuldades, alguns obstáculos. Como se vê neste texto os inimigos da obra de reconstrução tem nome. Sanabalat tem grande raiva ao saber da reconstrução, fica em cólera (Nee3,33). Tobias se junta a ele e ainda diz que virá uma raposa e fará cair a muralha de pedra (Nee 3,35).

Vamos trazer este texto para nossa vida, percebamos que assim também acontece em nosso processo de reconstrução. Sempre aparece alguns Sanalabat e Tobias para nos fazer desanimar.

Vamos orar pedindo ao Espírito Santo que tome conta de todas as situações que nos levam desanimar, que são para nós motivos de queda e representam inimigos em nossa vida. Lembro ainda que podemos orar não somente no sentido pessoal mas também comunitário, o que representam impecilhos para o crescimento de nosso grupo de oração e neste tempo para que Deus fortaleça todos os que estão envolvidos no processo de construção da Sede Nacional da Renovação Carismática Católica.

Quais são os Sanabalat e Tobias de nossa vida? Tenhamos coragem de nomeá-los. Agora em oração de intercessão oramos pedindo o animo e a coragem para reconstruir, veja em Neemias 3,38.

Quinta-feira (25 de fevereiro)

A passagem de hoje é Neemias 4, 1-17.

Esta passagem vai nos mostrar o poder da oração, porque Sanabalat e Tobias, enraivecidos querem semear divisão, confusão no meio do povo a trabalhar na obra.

Neemias monta guarda dia e noite para proteger contra os inimigos. Ao ler esta passagem senti necessidade de montar guarda dia e noite contra os inimigos que nos tentam. Fiquei muito motivada e sinto que é moção de Deus porque vamos nos unir em oração assim como o povo que estava como Neemias fez.

Durante o tempo de guarda vamos orar estrategicamente para as portas que Deus nos mostrou na terça-feira. Como a guarda foi montada de dia e de noite, podemos fazer assim: escolha um horário durante a vigília da noite e desperte para orar ao menos trinta minutos ao Senhor. Rogando que Ele coloque anjos nas situações de risco de sua vida. Isto será na sua vida pessoal. Agora escolha um horário juntamente com amigos de seu Grupo para que possam se reunir e orar juntos no sentido de pedir guarda para a reconstrução de seu grupo de oração e da RCC de sua diocese.

Aproveite este momento em que estão reunidos e coloquem também a intenção da Construção da Sede da RCCBrasil. Percebam que esta é uma forma estratégica de orar direcionado com o que a palavra nos ensina, “Não tenhais medo deles!” (Nee4,8) e “Nosso Deus combaterá por nós.” (Nee4,14b).

Sexta-feira (26 de fevereiro)

A passagem de hoje é: Neemias 5,1-19.

Hoje vamos ler a passagem, grifar os versículos que mais nos marcaram. Vamos refletir com eles, em seguida orar. Percebamos que nesses versículos havia uma divida que pesava sobre o povo e que os fazia penhorar os seus bens. Talvez entre nós ainda exista coisas que estão penhoradas a outros senhores ou estão mal resolvidas, e que por este motivo nos conduz a um mau procedimento.

Sigamos a moção desta passagem e percebamos o que penhoramos de dívidas. Hoje é tempo de pedir ao Espírito Santo que é o “penhor de nossa herança”(Ef1,14a) para que nos abasteça com a graça de deixar os lamentos e murmúrios, levando-nos a dar e receber o perdão.

Sábado (27 de fevereiro)

A passagem de hoje é: Neemias 6,1-19.

Percebo que nossas intrigas aparecem no processo de reconstrução, com ela vem também novos nomes como Gosem e outros inimigos. Queridos a reconstrução caminha, mas com ela vem as perseguições, as provas, as intrigas.

É importante perceber que Neemias sempre tem uma resposta certeira para dar, mesmo quando ao seu redor haja muitas armadilhas. É importante detectar, com esta passagem, como o inimigo nos conhece e trama contra nós. Por isso, não podemos deixar de sermos íntimos de Deus, pois é Ele quem nos dirigi nos momentos de tormenta.

Percebam: Não podemos baixar a guarda!

Vamos orar pedindo a Deus todo poderoso que nos dê força, que sejamos íntimos, perseverantes na oração, e dócil ao mover do Espírito.

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/d5

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.