RCC Tocantins
18/04/2007 - 14h17m

Música sacra ambientará encontro do Papa com bispos do Brasil em São Paulo

 
Catedral da Sé será o palco da cerimônia na tarde do dia 11 de maio

SÃO PAULO - Os cerca de 430 bispos do Brasil terão um privilegiado encontro com Bento XVI durante sua viagem ao país, em maio: um momento de oração, música e alocução do Santo Padre, na Catedral da Sé, em São Paulo, na tarde do dia 11.

Após celebrar a missa de canonização de Frei Galvão no aeroporto Campo de Marte pela manhã (9h30), o Papa retorna ao Mosteiro de São Bento, onde se hospeda e faz as refeições, para, depois de um breve descanso, seguir para a Catedral da Sé (16h), região central da cidade.

Ali, segundo informa a arquidiocese de São Paulo, a maior Igreja da capital paulista será o cenário de um concerto sinfônico preparado especialmente para o encontro.

Um coral de 200 vozes, formado pelo Coral Lírico Municipal e pelo Coral Paulistano, e a Orquestra Sinfônica Heliópolis devem apresentar repertório com 11 obras. Os músicos serão regidos por Silvio Baccarelli, Mário Valério Záccaro, Edílson Venturelli e Mara Campos, em diferentes momentos.

O Papa chega à Catedral (16h) ao som dos sinos da igreja, mas os músicos iniciam a audição meia hora antes. A canção “Salve Rainha”, cantada a capella (ou seja, somente com vozes, sem instrumentos) será regida pelo mineiro Silvio Baccarelli, especialista em música Sacra e fundador do Instituto Baccarelli.

De acordo com a arquidiocese, Bento XVI deve entrar no templo pelo corredor principal, passando pelo coral e entrando depois na Capela do Santíssimo Sacramento. Após reverenciar o Santíssimo, o Papa caminha até o altar, onde será saudado pelo presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), cardeal Geraldo Agnelo.

Quatro monges beneditinos iniciam o coro gregoriano, que rezará a Oração das Vésperas. Em seguida, o Papa faz um pronunciamento em português, com duração aproximada de 20 minutos.

Algumas pessoas foram convidadas a cumprimentar Bento XVI durante o encontro: o arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer; o presidente do Cabido Metropolitano, Monsenhor Geraldo Melo; e os presidentes dos catorze Regionais da CNBB.

Durante os cumprimentos, o coral e a orquestra voltam a entoar os cantos. Entre as músicas escolhidas para ilustrar o acontecimento estão a Suíte Festiva, de Ronaldo Miranda (pianista e compositor reconhecido internacionalmente e titular da cadeira de composição na Universidade de São Paulo, a USP); o notório Pater Noster de Heitor Villa Lobos, a capella; e o Sanctus e Agnus Dei, de Camargo Guarnieri (ganhador do prêmio ‘Gabriela Mistral’, sob o título de ‘maior compositor das Américas’).

Duas músicas do repertório serão cantadas em primeira audição. Uma delas é a Ave Maria de Antonio Ribeiro, e a outra é Tu es Petrus, do Padre João Lírio Tallarico, que foi feita especialmente para a ocasião.

A despedida será marcada por “Brasileiros”, obra de Furio Franceschini, compositor do Hino Oficial do IV Congresso Eucarístico Nacional, realizado em São Paulo, em 1942.

Fonte: ZENIT

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/1m

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.