RCC Tocantins
22/08/2007 - 17h10m

Missa de um ano de falecimento de dom Luciano Mendes

 

Na próxima segunda-feira, dia 27 de agosto, a Arquidiocese de Mariana irá celebrar um ano de falecimento de dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, que faleceu no dia 27 de agosto de 2006, no Hospital das Clínicas em São Paulo, onde esteve internado durante todo o tratamento, desde o dia 17 de julho do mesmo ano. O arcebispo esteve à frente da Arquidiocese de Mariana por 18 anos.
Por esta razão, o atual arcebispo da Arquidiocese e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Geraldo Lyrio Rocha, convida a todos para as solenidades que marcarão esta data. Dom Geraldo irá presidir a missa que será realizada na Catedral da Sé, em Mariana.

A partir das 16h do dia 27 de agosto, serão lançados os livros: Doctor Amoris Causa, obra elaborada pelo Instituto Santo Inácio e Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (ISI), e Dom Luciano, o irmão do outro; que tem como autor Candido Mendes, irmão de dom Luciano. O lançamento acontece em sintonia com a inauguração do Memorial dos Bispos de Mariana - seção Dom Luciano, que será instalado no Centro Cultural Dom Frei Manoel da Cruz, antigo Palácio dos Bispos, recentemente inaugurado.

A Celebração Eucarística que deverá ser realizada no mesmo dia por todas as paróquias da Arquidiocese, por sugestão de dom Geraldo Lyrio, acontece na Catedral Metropolitana de Mariana (Catedral da Sé), a partir das 19h.

Biografia de Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida

Nascido no dia 5 de outubro de 1930, no Rio de Janeiro, filho de Cândido Mendes de Almeida e de Emília Mello Vieira Mendes de Almeida, dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, ainda jovem entrou para Companhia de Jesus, ordem religiosa de Santo Inácio, Jesuíta. Estudou filosofia em Nova Friburgo (RJ) de 1951 a 1953 e, em Roma, fez seus estudos de teologia de 1955 a 1958. Doutorou-se em filosofia no ano de 1965. Nomeado bispo auxiliar de São Paulo, recebeu a ordenação episcopal no dia 2 de maio de 1976.

Destacou-se no trabalho frente à CNBB como Secretário Geral de 1979 a 1987 e como presidente de 1987 a 1994. Foi membro do Conselho Permanente do Sínodo Episcopal desde 1987, membro da Pontifícia Comissão Justiça e Paz desde 1992, vice-presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano) de 1995 a 1998. Antes de receber a indicação para assumir o governo da Arquidiocese Igreja de Mariana, foi bispo auxiliar na Arquidiocese de São Paulo, na região Leste I de 1976 a 1988.

Dom Luciano organizou a Arquidiocese de Mariana em cinco Regiões Pastorais e teve especial atenção à formação do clero reestruturando o seminário arquidiocesano. Igualmente, priorizou a atuação dos leigos realizando assembléias pastorais, constituindo os Conselhos Arquidiocesanos, dinamizando as dimensões e pastorais, como Catequese, Liturgia, Pastoral da Criança e do Menor, Pastoral da Juventude, Pastoral das Vocações e Ministérios, Pastoral do Dízimo e Pastoral Familiar.

Sob a sua orientação, a Arquidiocese investiu na comunicação, criando o Departamento Arquidiocesano de Comunicação (Dacom), modernizando a Editora Dom Viçoso. O patrimônio histórico, artístico e cultural (igrejas, museus, imagens etc) também mereceu do arcebispo grandes investimentos com destaque para a recuperação do Santuário Nossa Senhora do Carmo, destruído em incêndio no ano de 2001, e o Palácio dos Bispos cuja restauração está prestes a terminar.

Fonte: DACOM - Arquidiocese de Mariana

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/7h

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.