RCC Tocantins
07/08/2008 - 16h59m

MCCE divulga nota em resposta à decisão do STF

 
 

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) divulgou hoje, 7, em uma reunião na sede da CNBB, uma nota em resposta à decisão do STF, de permitir a candidatura de políticos em débito com a Justiça.  Participaram da reunião representantes de entidades que fazem parte do MCCE.

Em um julgamento de oito horas, ontem, 6, o STF julgou improcedente o pedido da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) para permitir que juízes eleitorais pudessem vetar a candidatura de políticos que respondem a processo judicial ou não tenham sido condenados em definitivo.

O MCCE propõe uma nova iniciativa popular de projeto de lei defendendo que a sociedade tem o direito de definir qual o perfil esperado dos postulantes a cargo eletivo.

Leia a nota:

Decisão do STF reforça iniciativa popular
"Nossa causa é justa"

A decisão tomada ontem pelo Supremo Tribunal Federal, referente à vida pregressa dos candidatos, tomou por base os marcos legais eleitorais vigentes.

Por isso mesmo, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral considera que sua decisão de apresentar à sociedade brasileira nova iniciativa popular de projeto de lei se mostrou oportuna e pertinente.

Oportuna, porque a opinião pública brasileira repele candidaturas de pessoas com histórico pessoal incompatível com as responsabilidades da representação política. Um dos quesitos formulados em pesquisa recentemente divulgada pela AMB/Vox Populi já demonstra cabalmente: 88% dos brasileiros não aceitam candidatos já condenados em primeira instância.

Pertinente, porque a sociedade tem o direito de definir qual o perfil esperado dos postulantes a cargo eletivo.

Mais de 100 mil cidadãos(ãs) já assinaram o projeto de lei de iniciativa popular segundo o qual devem ser considerados inelegíveis:
 
a) as pessoas com condenação em primeira instância por crimes graves ou, no caso dos detentores de foro privilegiado, com denúncia recebida por um tribunal;

b) os que tenham renunciado para fugir de cassações;

A decisão do STF apenas demonstra a correção da via constitucional adotada pelo MCCE para a dignificação da atividade política no País.

O MCCE conclama a todos os envolvidos nessa iniciativa – militantes das organizações que o compõem e todos os indignados com a corrupção – para que intensifiquem a coleta de assinaturas e enviem imediatamente os formulários já preenchidos para sua sede em Brasília.

Fonte: Noticias  Canção Nova

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/aL

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.