RCC Tocantins
06/06/2007 - 15h05m

Cardeal Bertone defende Pio XII

 
O Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, declarou ontem,5, que o Papa Pio XII é "vítima de uma lenda negra", que o acusa "falsamente" de ter ignorado o Holocausto durante a II Guerra Mundial.

O braço direito de Bento XVI falava durante a apresentação, em Roma, de uma nova biografia de Pio XII, do jornalista italiano Andréa Tornielli, a qual diz que as acusações de que o Papa seria anti-semita e teria ignorado o Holocausto fazem parte de uma "lenda negra" e não encontram apoio em quaisquer documentos históricos.

A obra, de 650 páginas, tem como título "Pio XII, Eugenio Pacelli. Um Homem no Trono de São Pedro". Tornielli cita novos documentos dos arquivos da família Pacelli mostrando, por exemplo, que, na escola, o jovem Eugenio era amigo íntimo de um colega judeu, Guido Mendes. Pacelli ajudou depois a família Mendes quando o ditador Benito Mussolini promulgou as "leis raciais" contra judeus, em 1938.

Graças ao trabalho do Papa Pacelli, Roma contou com a maior percentagem de judeus que sobreviveram nas cidades ocupadas pelos Nazis. Dos 5715 Judeus de Roma, registados pela Alemanha para serem deportados, 4715 foram acomodados em 150 instituições católicas, 477 dos quais em santuários do Vaticano.

O Cardeal Bertone lamenta que, na opinião pública, a imagem de Pio XII esteja associada à "indulgência para com o nazismo e á insensibilidade para com as vítimas das perseguições", reduzindo o pontificado "à questão dos seus supostos silêncios".

O Papa Pacelli, que liderou a Igreja Católica de 1939 a 1958, viveu "uma grande e grave drama interior" em relação à melhor atitude a tomar durante a II Guerra Mundial.

O Secretário de Estado do Vaticano afirmou que o pontificado de Pio XII foi marcado por "avanços importantes", em setores como a Liturgia, a Escritura ou o papel das mulheres.

Fonte: Agência Ecclesia

LINK CURTO: https://rccto.org.br/r/4n

© 2012-2021. RCC-TO - Todos os direitos reservados.